2013-06-12

O Corpo é que vende...

A Mulher " objecto" na Publicidade Antes de iniciar o tema principal do blogue é importante referir o que é a publicidade e para que serve. De acordo com as autoras Isabel Orestes Silveira e Nora Rosa Rabinovich, (2010) a publicidade defini-se como algo que se opõe ao secreto e o seu objectivo é favorecer as vendas. Ela está presente em jornais, revistas, televisão, internet e outdoors e pode ser visionada por qualquer pessoa. É a partir dos media que se transmitem mensagens publicitárias, e é aqui que a mulher entra. Todos os dias observamos publicidade, que na maioria das vez, tem como protagonista uma mulher. A mulher é interveniente na publicidade para o público feminino e masculino, tornando-se um "objecto" de desejo do homem . Mas na publicidade não é colocada a mulher comum. A publicidade segue um padrão elevado de perfeição. Deste modo, e para conseguir a atenção de um maior número de pessoas, é colocada a mulher dita "perfeita". O importante é a propaganda e a venda. É assim que, é colocada na publicidade, a mulher bela, jovem e sensual. Com todos estes atributos, ela capta a atenção do espectador e promove os produtos. Mas esta perfeição da mulher da publicidade não é considerada real, mas sim, algo “plastificado”, algo que foi idealizado pela sociedade. A publicidade construiu a beleza idealizada da mulher. Quem assiste à publicidade fica mais interessado em quem está a realizá-la do que propriamente a publicidade em questão. Consome-se mais o símbolo, ou seja, a mulher, do que os produtos. O corpo da mulher é o corpo que vende.
Postar um comentário