2010-03-24

O mal da indiferença, ou machistas perdendo o poder?





No dia "8 de Março de 1857,As operárias têxteis de uma fabrica de Nova Iorque entraram em greve ocupando a fábrica, para reinvidicarem a redução de um horário de mais de 16 horas por dia para 10 horas. Estas operárias, que recebiam menos de um terço do salário dos homens, foram fechadas na fábrica onde, entretanto, se declara um "incêndio, e crca de 130 mulheres morreram queimadas....

Este tipo de desinformação não é exclusivos dos grandes jornais.Até mesmo " Wikipedia" é iludido com estes erros de informação de mercado.
Comparem a versão "inglesa" de um artigo referente ao dia Internacional da Mulher.

- 8 de Março de 1857, trabalhadores da indústria têxtil protestaram em Nova Iorque, contra más condições de trabalho e baixos salários. A polícia dispersou,de forma "violenta", as manifestantes. Desta data em diante, as mulheres passaram a protestar por mais direitos ( incluindo o direito de voto).

- 25 de Março de 1911, um fogo no 8 andar do edifício onde estava instalada a fábrica têxti Tiangle ( que ocupava os últimos três dos dez andares do edifício) causou a morte de 145 dos seus 500 trabalhadores, a maioria mulheres imigrantes.

- Na versão portuguesa tem um adendo nas versões: As protestantes foram trancadas no interior da fàbica pelos patrões e pela polícia. Estes mesmos atearam fogo fogo no prédio. 129 trabalhadoras morreram carbonizadas. Estava então classificada a "mulher objeto".

UM NOME "MARCA" A INDIFERENÇA>

Sem sombra de duvidas os publicistas deste anúncio susciram a deformação da moral e dos bons costumes na transmissão da mensagem.
Equiparam a mesma na forma mas agravada, de uma simulação de um ato de estupro, acompanhado visualmente por figuras perniciosas.
Há que se repensar o código da "estilizaçõ da estética", quanto ao mal uso da mulher na publicidade, para que elas não se tornem "uma mulher objeto.
Postar um comentário